segunda-feira, 10 de abril de 2006

Match Point

Achou que seria daquela vez. Tinha tudo pra ser. O clima era bom, o papo era bom e tudo o que vinha depois dele também. Mas quem disse que sabia perceber esse tipo de coisa?
De repente, conversas mais espaçadas; contatos quase impossíveis. Algo dizia que as coisas estavam mudando; tomando o rumo que já conhecia - e que não queria que tomassem. As dúvidas, companheiras de sempre, rondavam seus pensamentos toda vez que o assunto vinha à mente. Achava que aquele desfecho não combinava com o começo da história. Demorou um bocado até perceber que a vida não segue um manual de redação; começo, meio e fim nem sempre são tão bem definidos, e os ganchos entre um e outro nem sempre são tão sólidos. Em comum, começava a notar, havia apenas o fato de sempre haver um ponto final.

3 comentários:

  1. "...garotos como eu, sempre tão espertos mas perto de uma mulher... são só garotos"

    É isso ai garoto, preciso dizer mais nada...Até na ficção garotos são só garotos. r* abração!

    ResponderExcluir
  2. Pois é, rapaz...até na ficção!
    Abs!

    ResponderExcluir
  3. quanto ao manual de redação... nunca espere isso da vida. ela não dá. ficaria tudo muito sem graça. beijos.

    ResponderExcluir